Pages Menu
Categories Menu

Postado por em fev 17, 2014 em Notícias | 0 comentários

Gravidez não é sinônimo de dor

Gravidez não é sinônimo de dor

Mais de dois terços das gestantes sentirão dor lombar ou pélvica. Para muitas delas, o sintoma será tão intenso que deverá interferir no sono e nas atividades diárias. O neurocirurgião Cezar Augusto Oliveira, membro da Sociedade Brasileira de Coluna, explica que as queixas são justificadas pelo peso extra que a grávida carrega, exercendo forte pressão sobre a coluna, e pelas alterações hormonais, que fazem as articulações pélvicas ficarem mais relaxadas.

Apenas metade das gestantes que sofrem com dores nas costas procuram um médico, pois a maioria considera, de maneira incorreta, a lombalgia como um desconforto inevitável. Independentemente do que está causando a dor, existem medidas que podem dar mais conforto às grávidas antes do parto. Confira, a seguir, as dicas do especialista.

Independentemente do que está causando a dor, existem medidas que podem dar mais conforto às grávidas antes do parto:

1) O uso de uma cadeira que suporte a coluna e um pequeno travesseiro como apoio extra na parte inferior  das costas ajudam a evitar fadiga muscular e aliviar a dor enquanto a grávida estiver sentada.

2)  As mulheres grávidas devem manter uma postura adequada ao realizar as atividades diárias, de modo que sua coluna não fique sobrecarregada ou desalinhada.

3)  Também é preciso aprender a ficar em pé, caminhar, curvar o corpo e levantar peso sem causar estresse extra sobre a coluna ou fadiga muscular.

4) Não é indicado andar prolongadamente ou ficar em pé por muito tempo.

5) A massagem pode aliviar a dor nas costas, assim como a acupuntura. Alguns estudos defendem que a técnica chinesa complementa o tratamento de lombalgia durante a gravidez.

6) Aulas de hidroginástica aliviam a pressão sobre a coluna. Também é importante incluir na rotina atividades físicas suaves como caminhar e nadar, além de exercícios que fortalecem o abdômen e a parte inferior das costas.

7) É recomendado dormir de lado, mantendo um ou ambos os joelhos dobrados. O uso de um travesseiro para apoiar o abdômen, especialmente no último trimestre, e outro entre os joelhos também ajudam a aliviar o desconforto durante a noite.

8) Para deixar as articulações pélvicas mais estáveis, eliminando a dor, sugere-se o uso de cinto de apoio à maternidade e sapatos com saltos baixos e que deem bom suporte.

9) Uma almofada de aquecimento pode ser aplicada na área dolorida.

10) Caso seja necessário, deve-se partir para um tratamento conservador, que inclui fisioterapia, cintos de estabilização, estimulação do nervo e medicamentos.

FONTE: CORREIOWEB

Publicar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Link permanente: