Em quanto tempo, depois da cirurgia de coluna, você pode voltar a dirigir?

Cirurgia de coluna: Pacientes que operam a coluna já não precisam mais olhar melancolicamente para as chaves do carro por um mês ou mais após o procedimento. Eles podem ser capazes de dirigir com segurança novamente depois de apenas duas semanas. É o que defende um estudo – “When Is it Safe to Return to Driving After Cervical and Lumbar Spinal Surgery?” –  apresentado durante a Reunião Anual da Sociedade Norte-Americana de Coluna.

“De duas a 12 semanas, uma variedade de recomendações existe sobre quando é seguro voltar a dirigir depois de uma cirurgia de coluna. Este estudo coloca um ponto final nas discordâncias, usando uma medida objetiva de segurança para determinar quando os pacientes podem pegar as chaves do carro e desfrutar da melhora de saúde e da autonomia recuperada”, afirma o neurocirurgião Cezar Augusto de Oliveira (CRM-SP 123.161).

Segundo os autores, os pacientes que se submetem a uma cirurgia cervical ou lombar não apresentam nenhuma mudança mensurável no tempo de reação do motorista (DRT-Detection-Response-Task) entre a consulta pré-operatória e sua primeira consulta pós-operatória (duas a três semanas após a cirurgia).

Com base neste estudo prospectivo, realizado com 37 pacientes, os autores concluem que parece seguro permitir que pacientes que não estão estejam tomando opioides possam voltar a dirigir tão cedo quanto possam ou duas semanas após a cirurgia. Para fazer essa recomendação, os pesquisadores mediram o tempo que o paciente levou para reconhecer um estímulo de freio e apertar o freio utilizando programas de computador.

Os pacientes cervicais foram subdivididos em dois grupos: os que haviam passado por uma mielopatia cervical e os que haviam realizado outro tipo de procedimento. Os pacientes foram testados no pré-operatório e, em seguida, 2-3, 6 e 12 semanas após a cirurgia e foram comparados a 14 pacientes do grupo controle saudáveis. Nenhum dos grupos tinha uma diferença significativa de seus resultados entre o pré-operatório e o pós-operatório.

Outros fatores que precisam ser considerados

Para Cezar de Oliveira, que também é membro da Sociedade Brasileira de Coluna, “para ser capaz de dirigir depois de uma cirurgia lombar, um veículo com transmissão automática facilita muito o processo. Já um veículo com câmbio manual e embreagem requer aumento da energia, o que pode fazer com as que as coisas não avancem tão rapidamente”, observa o médico, que lista algumas medidas importantes que precisam ser avaliadas nesse processo:

  1. O paciente precisa estar com os sentidos afiados. “Isso significa que ele não pode estar cansado e nem sob a influência de medicamentos para a dor e / ou relaxantes musculares. Se o paciente tem alguma dúvida sobre a sua capacidade de fazer julgamentos ou seu tempo de reação, deve esperar para dirigir até que o momento em que possa pensar com clareza e reagir adequadamente”, recomenda o especialista em coluna;
  2. O paciente deve ser capaz de sentar-se confortavelmente para dirigir. Muitos pacientes podem sentar-se confortavelmente, imediatamente após a cirurgia, mas outros não. “Inicialmente, a condução do veículo deve ser retomada por distâncias curtas. O paciente precisa programar-se para ficar 15 minutos sentado direto para ver como ele se sente. Muitas vezes, viagens curtas e  locais podem ser a únicas opções de deslocamento. Como a inflamação pós-cirúrgica recua, a capacidade melhora até longas distâncias poderem ser contempladas. Vale a pena, durante esse processo de recuperação, parar e caminhar ao redor do carro durante qualquer período de viagem”, orienta Cezar Oliveira;
  3. A terceira regra é a de ser capaz de fazer uma frenagem de pânico. “Se uma criança aparece de repente na frente do carro ou o paciente precisa evitar um impacto, ele deve ser capaz de pisar no freio imediatamente. Somente quando o paciente tem a capacidade de realizar essa ação, que envolve a coluna e as pernas, ele pode voltar a dirigir”, ensina o médico. 

“E é claro que o paciente pode ser transportado em um carro como passageiro imediatamente após a cirurgia, mas para ajudá-lo é preciso que o assento esteja um pouco reclinado para reduzir a carga de vibração inerente do carro. Para uma longa viagem, sair e andar em volta do carro a cada 1-2 horas também é válido”, diz o especialista em coluna.

 FONTE: SEGS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *